Uma Dieta Pode Funcionar Para Uma Pessoa e Para Outra Não?

Para responder a essa pergunta, pesquisadores decidiram analisar os diferentes efeitos de uma mesma dieta para um grupo de pessoas. Depois, criaram uma forma automatizada de gerar uma dieta personalizada visando melhores resultados.

Para entender por que a mesma dieta pode ter efeitos diferentes nas pessoas, pesquisadores decidiram realizar dois estudos. No primeiro, eles passaram uma mesma dieta “saudável” para 800, para diminuir o índice glicêmico, e verificaram os resultados de cada uma delas. E a partir desses dados, eles analisaram os fatores individuais que explicam os resultados diferentes para uma mesma dieta. Depois, criaram uma maneira automatizada de criar uma dieta personalizada.

Como as pesquisas foram feitas?

Passo a passo

1 – Dieta “saudável” para todos

Primeiro, os pesquisadores pegaram um grupo de 800 pessoas e passaram uma dieta “saudável” para todos eles. O objetivo dessa dieta era diminuir o açúcar no sangue, já que esse é um dos principais culpados por doenças como diabetes e obesidade.

Porém, apesar de seguir as mesmas dietas, os participantes apresentaram resultados diferentes. Para alguns a dieta funcionou e para outros não.

Alimentos que induziram uma resposta “saudável” a alguns indivíduos, também induziram respostas “não saudáveis” a outros. Assim como visto no gráfico abaixo:

Esse gráfico mostra as diferentes variações dos níveis de açúcar do participante 445 e do 664 com a ingestão de banana e de cookies. Eles tem respostas opostas a ingestão dos mesmos alimentos.

Em outro exemplo, uma mulher obesa e pré-diabética de meia idade, percebeu que os hábitos alimentares “saudáveis” não eram saudáveis para ela. No caso dela, ao comer tomate ela tinha um grande aumento de açúcar no sangue, enquanto para a maioria ocorre a diminuição. Isso foi analisado durante uma semana em que ela comeu tomate frequentemente.

2 – Análise dos fatores

Os pesquisadores resolveram entender melhor a influência de alguns fatores em relação aos níveis de açúcar no sangue de um indivíduo. Para isso, quantificaram os níveis glicêmicos dos participantes para caracterizar a variação de resultados e depois identificar quais fatores são responsáveis por essa variação.

Os participantes voluntários relatavam suas atividades diárias para os pesquisadores através de um aplicativo de celular. Além desses dados, também foram coletadas outras informações dos participantes, como:

  • Frequência de alimentação,
  • Estilo de vida,
  • Histórico médico,
  • Medidas corporais (altura, circunferência do quadril, etc)
  • Exames de sangue,
  • Resultado de exame de fezes (para análise da microbiota)

Todas essas informações foram utilizadas para auxiliar no entendimento dos diferentes resultados de cada participante para a mesma dieta.

3 – Algoritmo que gera uma dieta personalizada

Depois de coletar e analisar os dados, os pesquisadores decidiram melhorar ainda mais essa pesquisa. Para isso, eles decidiram criar um algoritmo para identificar a dieta personalizada para cada indivíduo de acordo com os resultados da pesquisa. Essa dieta tem o objetivo de reduzir os níveis de açúcar no sangue.

Esse algoritmo é capaz de gerar uma dieta personalizada de acordo com os dados individuais fornecidos. Fatores genéticos, exames de sangue, medidas do corpo são alguns desses dados coletados para a definição da dieta.

4 – Teste e validação da dieta personalizada (criado pelo algoritmo)

Para testar e validar a criação da dieta personalizada usando o algoritmo foi feito um teste com outro grupo de pessoas.

Das 100 pessoas participantes, pelo menos 70 delas obtiveram resultados positivos e conseguiram reduzir os níveis de açúcar no sangue, comprovando assim a eficiência do algoritmo criado pelos pesquisadores.

5 – Dieta personalizada (pelo algoritmo) x Dieta personalizada (por um profissional)

O último teste realizado pelos pesquisadores foi a comparação de uma dieta personalizada criada usando o algoritmo com outra dieta aplicada por um especialista em dietas.

Para isso, foram escolhidas 26 pessoas para seguir as dietas. Elas foram divididas em dois grupos, sendo que um seguiu a dieta gerada pelo algoritmo e outro seguiu a dieta de um especialista. Ambas com o mesmo objetivo: reduzir o nível de açúcar no sangue.

Resultado:

O resultado desse teste mostrou que tanto as pessoas que seguiram a dieta gerada pelo algoritmo quanto a dieta do especialista conseguiram alcançar seu objetivo que era a diminuição de açúcar no sangue. Portanto, foi comprovada a eficiência do novo método gerado pelo algoritmo.

Com isso, percebemos que as duas formas são eficientes, tanto a dieta do especialista quanto a dieta gerado pelo algoritmo. Porém, a vantagem em relação a dieta personalizada criada pelo algoritmo é que ela pode atingir mais pessoas.

Outro ponto importante que deve ser destacado é que esse último teste foi realizado com um grupo pequeno de pessoas. Para melhores resultados, é preciso de um estudo com maior quantidade de pessoas. Entretanto, espero que esse seja apenas o primeiro de muito estudos desse tipo.

Essas pesquisas mostram muitas coisas:

1ª: Nível de açúcar no sangue depende de vários fatores

Açúcar no sangue não depende só do que comemos, também depende de como nosso sistema processa os alimentos.

2ª: A mesma dieta pode gerar respostas diferentes dependendo da pessoa

Assim como aconteceu com a mulher que comeu tomate. O resultado dela ao comer tomate era diferente do da maioria.

E o mais importante:

3ª: A importância da dieta personalizada de acordo com dados coletados

Isso explica por que uma dieta funciona para um e não funciona para outro. Não existe o bom para todos e ruim para todos.

Você depende de vários fatores para definir a melhor dieta para você. Uma dieta personalizada ajuda a alcançar os melhores resultados, através da análise de dados individuais coletados.

Espero que essa pesquisa seja apenas a primeira de muitas pesquisas a abordar esse tema, pois é preciso entender a importância da dieta personalizada. Quanto mais específica for sua dieta, melhor. Mais chances você terá de segui-la e de melhorar sua saúde efetivamente.

Por isso, não abra mão de uma visita a um médico, nutricionista ou nutrólogo. Faça exames para analisar sua condição atual e ver o que pode ser melhorado e como. Ver se você tem diabetes, pressão alta, intolerância a alguma coisa. Facilitando assim seu tratamento e a criação da sua dieta personalizada.

Paralelamente, continue buscando informações confiáveis sobre nutrição, buscando sempre fazer as melhores escolhas respeitando sempre suas individualidades. Para isso, continue acompanhando o Ingerindo Saúde.

5 (100%) 1 voto

Deixe Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *