Categorias
Alimentação

Os 7 Benefícios da Banana Em Uma Alimentação Saudável

Uns dizem que evita cãibra, outros dizem quem é bom para curar ressaca e ainda tem os que dizem que a banana é boa para comer antes do treino. Tem até os que defendem que banana o madura cura o câncer e os que acreditam que ela pode auxiliar no emagrecimento.

Vamos ver através de comprovações científicas para que a banana é boa de verdade.

O que dizer sobre a fruta mais popular do mundo?

A banana é uma fruta plantada em locais quentes, por isso que tem muita banana no Brasil. Existem muitos tipos diferentes de banana: branca/prata, nanica, ouro e banana da terra são as mais conhecidas.

Uma unidade de banana (136g) fornece 121 kcal, 4g de gordura, 31g de carboidratos, sendo 4 g de fibras. Ainda fornece 25% das necessidades diárias de vitamina B6 e 14% das necessidades de potássio (1). Essas informações servem para você entender o enorme valor nutricional que essa fruta pode trazer á sua alimentação.

Além disso, a banana pode gerar muitos benefícios que auxiliam a melhorar nossa saúde cada vez mais. Vamos a eles.

Banana é bom para que?

1 – Evita a depressão, mal humor, insônia, irritabilidade, fome excessiva (associada a ansiedade)

A banana estimula a produção de serotonina, que é um neurotransmissor associado ao relaxamento. Isto ocorre porque o carboidrato da banana estimula o pâncreas a secretar insulina, hormônio sinalizador que faz os carboidratos e aminoácidos circulantes entrarem nas células.

Porém, um aminoácido em particular permanece na corrente sanguínea: o triptofano. Esse aminoácido é precursor da serotonina. Dessa forma, a banana não contém serotonina, mas estimula sua produção. A serotonina é responsável por evitar depressão, irritabilidade, mal humor e até o aumento exagerado da fome (normalmente gerado pela ansiedade).

2 – Auxilia na digestão e na redução do apetite

A banana verde contém amido resistente que tem papel semelhante a fibra insolúvel, auxiliando na digestão e na regulação do intestino.

A banana também tem a fibra pectina. O amido resistente e a pectina podem gerar uma redução de apetite retardando o esvaziamento do estômago.

3 – Auxilia no emagrecimento

Pode-se dizer que a banana auxilia no emagrecimento por vários motivos:

  • Contém poucas calorias
  • É rica em nutrientes e fibras
  • Reduz o apetite [enquanto a está banana verde]

Por isso, a banana é considerada parte importante do cardápio de quem quer emagrecer.

4 – Auxilia a saúde do coração

Como vimos anteriormente, uma banana média contém mais de 10% da porção diária de potássio necessária para nossa saúde. O potássio é um mineral essencial para o controle da pressão sanguínea.

Por isso, uma dieta rica em potássio pode reduzir até 27% os riscos de problemas cardíacos (9, 10, 11).

Além disso, a banana contém uma quantidade significativa de magnésio que também é muito importante para evitar problemas no coração.

5 – Diminui os riscos de doenças (principalmente cardiovasculares e degenerativas)

Por conter poderosos antioxidantes, a banana se torna uma ótima maneira de prevenir doenças. Dopamina e catequina são alguns desses antioxidantes presentes na banana. Esses antioxidantes são ligados a vários benefícios como redução do risco de problemas no coração e doenças degenerativas.

6 – Reduz as chances de problemas no fígado

Além de auxiliar no controle da pressão sanguínea, o potássio é essencial para a saúde do fígado. Por isso, a banana tem a capacidade de reduzir as chances de problemas no fígado.

Estudo feito com mulheres que comiam banana de 2 a 3 vezes por semana mostrou que elas tinham 33%menos chance de desenvolver doenças no fígado.

Outros estudos apontam que quem come de 4 a 6 bananas por semana tem aproximadamente 50% menos chance de desenvolver doença no fígado, comparando com quem não come banana.

7 – Auxilia na prática de exercícios físicos

Além de todos os benefícios já vistos, a banana é um ótimo alimento para quem pratica exercícios. Isso acontece devido aos carboidratos de fácil digestão e aos minerais presentes na banana.

A banana também pode ser uma excelente fonte de energia para os atletas, assim como os isotônicos .

Comer banana pode auxiliar na solução de um problema que afeta aproximadamente 95% das pessoas que é dor e cãibra pós-exercício. Porém, nem todos concordam com isso. Existe um estudo em que não foi encontrado nenhum efeito nenhuma melhora nos problemas musculares com o consumo de bananas.

De qualquer forma, não tem como negar que a banana fornece muitos nutrientes tanto antes, quanto durante e depois dos exercícios.

Divergências sobre a Banana

Não dá para negar que a banana tem inúmeros benefícios para a saúde: evita doenças, auxilia na digestão, etc. Porém, existem algumas divergências em relação a algumas análises. Veja algumas:

Banana x Diabetes

Ainda existe muita discussão a respeito dos efeitos da banana em diabéticos. Isso acontece graças ao amido e ao açúcar que podem causar pico de açúcar no sangue. Porém, a banana tem baixo índice glicêmico e por isso seu consumo moderado não deve elevar tanto os níveis de açúcar no sangue como fazem outros alimentos ricos em carboidratos.

Banana x Prisão de ventre

Existe estudo indicando que o consumo de banana pode ser um fator de risco para quem sofre de prisão de ventre ou constipação. Por outro lado, tem outros que apontam o efeito positivo da banana para evitar a prisão de ventre.

Acredito que existe essa divergência porque no caso da banana verde, ela pode auxiliar no trato intestinal, como vimos no item #2, já a banana madura não contém o amido resistente da banana verde e por isso perde essa característica.

Dopamina x Humor

Existe um equívoco quanto aos efeitos da dopamina no cérebro. A dopamina da banana não ultrapassa a barreira sangue-cérebro e por isso não é possível dizer que ela pode auxiliar na melhora do humor. A dopamina atua como forte antioxidante, mas não melhora o humor.

Não é a toa que a banana é a fruta mais popular do mundo. Ela é muito nutritiva e tem diversos benefícios para nossa saúde.

Auxilia na prevenção de doenças do coração e do fígado, na prática de exercícios e até na redução do apetite.

Porém, ainda existem algumas divergências de opiniões em relação aos efeitos da banana. Principalmente em relação aos diabéticos e quem sofre com prisão de ventre.

Se você come banana ainda, comece a comer. Pode ser banana amassada com aveia e mel, vitamina de banana, banana cozida, tanto faz. Escolha uma das formas de fazer e coma antes dos treinos, nos lanches da tarde, como sobremesa.

Categorias
Alimentação

11 Alimentos Para Acelerar Seu Metabolismo (O 3 É Meu Preferido)

É possível acelerar o metabolismo até quando estivermos dormindo através de alimentos,exercícios corretos e um sono tranquilo.Algumas pessoas possuem um metabolismo rápido e outras um metabolismo lento,sendo essa a grande divisão entre você ser gordo ou magro. Sendo que todas as funções do corpo são feitas através do sistema metabólico gastando energia em repouso.

Acelerar o metabolismo com alimentos corretos

Existem os alimentos específicos que possuem uma grande função de acelerar o metabolismo mas isso não significa exatamente que você não deva dar valor a outros grupos alimentares,pois para emagrecer de forma correta e necessário ter uma alimentação balanceada para que o metabolismo funcione perfeitamente e não lhe falte nenhum tipo de nutriente.

Existem profissionais que dizem que apenas com uma alimentação correta seria possível o próprio corpo metabolizar o excesso de gordura e fazer com que chegássemos ao nosso peso correto e outros dizem que fazer exercícios juntamente com uma alimentação correta nosso metabolismo se estabilizaria mais facilmente pois a queima de calorias realmente seria maior.

E junto com essa alimentação correta entra os alimentos que podem ajudar seu ciclo para perder peso,que são os alimentos metabólicos ou termogênicos.

Sendo que para dar resultados satisfatórios esses alimentos devem ser consumidos de forma constante mas não de forma abusiva pois alguns podem causar efeitos colaterais.

1-CAFÉ: O café e um alimento termogênico devido a cafeína que ajuda a queimar gordura.E caso você tenha o costume de praticar exercícios o café também pode servir como um ótimo estimulante.

2-OVO: O ovo foi considerado um vilão da boa saúde por muito tempo,mas estudos sérios recentes tem mostrado que e um dos alimentos mais completos que existem.E rico em colesterol bom que limpa as gorduras das veias prevenindo infartes,além de possuir propriedades que fazem com que você controle seu apetite.E rico em cálcio,ferro,fósforo,zinco etc..E além de tudo isso,apenas possui a melhor proteína de todos os alimentos,que e essencial para emagrecer.

3-SALMÃO: Além de gorduras boas o salmão tem o famoso Ômega 3 que e uma gordura que faz bem e diminui os riscos de problemas causados pela obesidade e diminui os níveis de açúcar no sangue.

4-ÓLEO DE COCO: Uma das maiores provas que a gordura saturada não faz mal a saúde como foi compartilhada essa noticia pelo mundo a fora desde a década de 50. O óleo de coco e extremamente termogênico e diminui a circunferência abdominal,sendo ate mesmo considerado o melhor óleo de cozinha do mundo pois e melhor metabolizado pelo fígado.

5-QUINOA: Também considerada um dos melhores alimentos para se emagrecer do mundo pois possui grande quantidade de nutrientes e de maneira completa,podendo saciar o apetite devido ao alto teor de proteínas e fibras.

6-COUVE: A couve e conhecida como uma ótima desintoxicante limpando nosso organismo e também desinchando nosso corpo.

7-AZEITE: O azeite nunca deve ser levado ao fogo pois perdera suas boas propriedades.Use em saladas,massas ou legumes de forma geral para diminuir o colesterol ruim e perder peso.

8-BLUEBERRY: Considerada a fruta mais antioxidante do mundo ela e pouco conhecida no Brasil mas e perfeita para perder peso e evitar doenças cardiovasculares.

9-ESPINAFRE: Fantástico alimento rico em varias propriedades e pobres em calorias,fazendo com que seu corpo tenha muitas propriedades de qualidade sem risco algum de engordar.

10-BRÓCOLIS: Reduz o colesterol e devido a sua baixa concentração de calorias,você pode comer a vontade sem riscos de engordar.Rico em proteínas e ômega 3 ele também tem a capacidade de diminuir seus níveis de estrogênio do organismo além de ser uma fonte de cromo que regula a insulina e o açúcar do sangue.

11-GOJI BERRY: Não poderia faltar a nova queridinha das pessoas que querem emagrecer não e mesmo? Essa frutinha tem um baixíssimo índice glicêmico ou seja ela demora para se transformar em açúcar no sangue e assim te saciando mais rapidamente.Além disso e rico em fibras e cromos que inibe o apetite e controla os níveis de açúcar no sangue.

Faça uma alimentação balanceada sem muitas frituras feitas com óleos de origem vegetais como os de soja,milho ou canola e apenas complemente essa alimentação com os alimentos metabólicos e simplesmente usar os alimentos metabólicos e esquecer do restante da alimentação.

Categorias
Exercícios

6 Dicas Que Irão Forçar Você a Acabar Com o Sedentarismo

O sedentarismo é considerado uma doença e acontece quando a pessoa gasta poucas calorias diárias com qualquer tipo de atividade física. Para sair da classificação do sedentarismo, o ser humano precisa gastar 2.200 calorias por semana. Um dos principais motivos dessa doença estar crescendo cada vez mais é, com certeza, a modernidade, pois o conforto acabou tomando conta das pessoas. Para começar a praticar exercícios físicos e evitar o sedentarismo, aqui estão algumas dicas:

1- Faça uma avaliação médica
Essa é a melhor maneira para descobrir os limites do seu próprio corpo e quais exercícios você poderá realizar. Também é essencial fazer uma avaliação física, pois é por meio desta que é possível determinar a porcentagem de sua gordura corporal e, assim, ter uma ideia de sua resistência e alongamento.

2- Comece por atividades de baixo impacto
Lentas e eficientes, essas atividades queimam calorias, melhoram o condicionamento físico e trabalham a musculatura do corpo sem sobrecarregar articulações e ossos. Uma das atividades mais conhecidas para iniciantes é o alongamento, que melhora a amplitude dos movimentos e a flexibilidade da musculatura.

3- Escolha um exercício que te dê prazer
Exercícios físicos não são resumidos apenas em esteira e musculação. Então, se a academia não te atrai, você pode optar por fazer outras atividades, como esportes coletivos, ginástica ou circuito. O importante é buscar algum exercício que consiga equilibrar as necessidades do seu corpo de acordo com suas preferências, pois não há nada mais motivador do que fazer o que te dá prazer.

4- Respeite seus limites
Antes de pegar pesado nos exercícios, tenha certeza de como está o seu condicionamento físico, para não sofrer lesões. Pegar muito peso de uma vez só ou caminhar distâncias muito longas só faz com que dores nos músculos e nas articulações apareçam e te prejudiquem.

5- Aumente a intensidade aos poucos
O aumento da dificuldade e intensidade do treino é um desafio que ajuda o seu corpo a ganhar condicionamento e isso só te ajuda a sair do sedentarismo de maneira correta e saudável. Um aumento de velocidade, aumento de carga, redução do intervalo entre exercícios ou aumento no número de repetições são as mudanças mais comuns.

6- Faça alongamento e aquecimento
Esses minutinhos gastos para aquecer e alongar são essenciais para informar o próprio organismo sobre o que deve ser priorizado no momento. O aquecimento eleva a frequência cardíaca e prepara o corpo para o exercício físico. O alongamento, por sua vez, estimula a liberação do líquido sinovial, que lubrifica as articulações e ajuda a prevenir lesões.

Gostou das Dicas para acabar com Sedentarismo? Deixe seu comentário!

Categorias
Dietas

Uma Dieta Pode Funcionar Para Uma Pessoa e Para Outra Não?

Para responder a essa pergunta, pesquisadores decidiram analisar os diferentes efeitos de uma mesma dieta para um grupo de pessoas. Depois, criaram uma forma automatizada de gerar uma dieta personalizada visando melhores resultados.

Para entender por que a mesma dieta pode ter efeitos diferentes nas pessoas, pesquisadores decidiram realizar dois estudos. No primeiro, eles passaram uma mesma dieta “saudável” para 800, para diminuir o índice glicêmico, e verificaram os resultados de cada uma delas. E a partir desses dados, eles analisaram os fatores individuais que explicam os resultados diferentes para uma mesma dieta. Depois, criaram uma maneira automatizada de criar uma dieta personalizada.

Como as pesquisas foram feitas?

Passo a passo

1 – Dieta “saudável” para todos

Primeiro, os pesquisadores pegaram um grupo de 800 pessoas e passaram uma dieta “saudável” para todos eles. O objetivo dessa dieta era diminuir o açúcar no sangue, já que esse é um dos principais culpados por doenças como diabetes e obesidade.

Porém, apesar de seguir as mesmas dietas, os participantes apresentaram resultados diferentes. Para alguns a dieta funcionou e para outros não.

Alimentos que induziram uma resposta “saudável” a alguns indivíduos, também induziram respostas “não saudáveis” a outros. Assim como visto no gráfico abaixo:

Esse gráfico mostra as diferentes variações dos níveis de açúcar do participante 445 e do 664 com a ingestão de banana e de cookies. Eles tem respostas opostas a ingestão dos mesmos alimentos.

Em outro exemplo, uma mulher obesa e pré-diabética de meia idade, percebeu que os hábitos alimentares “saudáveis” não eram saudáveis para ela. No caso dela, ao comer tomate ela tinha um grande aumento de açúcar no sangue, enquanto para a maioria ocorre a diminuição. Isso foi analisado durante uma semana em que ela comeu tomate frequentemente.

2 – Análise dos fatores

Os pesquisadores resolveram entender melhor a influência de alguns fatores em relação aos níveis de açúcar no sangue de um indivíduo. Para isso, quantificaram os níveis glicêmicos dos participantes para caracterizar a variação de resultados e depois identificar quais fatores são responsáveis por essa variação.

Os participantes voluntários relatavam suas atividades diárias para os pesquisadores através de um aplicativo de celular. Além desses dados, também foram coletadas outras informações dos participantes, como:

  • Frequência de alimentação,
  • Estilo de vida,
  • Histórico médico,
  • Medidas corporais (altura, circunferência do quadril, etc)
  • Exames de sangue,
  • Resultado de exame de fezes (para análise da microbiota)

Todas essas informações foram utilizadas para auxiliar no entendimento dos diferentes resultados de cada participante para a mesma dieta.

3 – Algoritmo que gera uma dieta personalizada

Depois de coletar e analisar os dados, os pesquisadores decidiram melhorar ainda mais essa pesquisa. Para isso, eles decidiram criar um algoritmo para identificar a dieta personalizada para cada indivíduo de acordo com os resultados da pesquisa. Essa dieta tem o objetivo de reduzir os níveis de açúcar no sangue.

Esse algoritmo é capaz de gerar uma dieta personalizada de acordo com os dados individuais fornecidos. Fatores genéticos, exames de sangue, medidas do corpo são alguns desses dados coletados para a definição da dieta.

4 – Teste e validação da dieta personalizada (criado pelo algoritmo)

Para testar e validar a criação da dieta personalizada usando o algoritmo foi feito um teste com outro grupo de pessoas.

Das 100 pessoas participantes, pelo menos 70 delas obtiveram resultados positivos e conseguiram reduzir os níveis de açúcar no sangue, comprovando assim a eficiência do algoritmo criado pelos pesquisadores.

5 – Dieta personalizada (pelo algoritmo) x Dieta personalizada (por um profissional)

O último teste realizado pelos pesquisadores foi a comparação de uma dieta personalizada criada usando o algoritmo com outra dieta aplicada por um especialista em dietas.

Para isso, foram escolhidas 26 pessoas para seguir as dietas. Elas foram divididas em dois grupos, sendo que um seguiu a dieta gerada pelo algoritmo e outro seguiu a dieta de um especialista. Ambas com o mesmo objetivo: reduzir o nível de açúcar no sangue.

Resultado:

O resultado desse teste mostrou que tanto as pessoas que seguiram a dieta gerada pelo algoritmo quanto a dieta do especialista conseguiram alcançar seu objetivo que era a diminuição de açúcar no sangue. Portanto, foi comprovada a eficiência do novo método gerado pelo algoritmo.

Com isso, percebemos que as duas formas são eficientes, tanto a dieta do especialista quanto a dieta gerado pelo algoritmo. Porém, a vantagem em relação a dieta personalizada criada pelo algoritmo é que ela pode atingir mais pessoas.

Outro ponto importante que deve ser destacado é que esse último teste foi realizado com um grupo pequeno de pessoas. Para melhores resultados, é preciso de um estudo com maior quantidade de pessoas. Entretanto, espero que esse seja apenas o primeiro de muito estudos desse tipo.

Essas pesquisas mostram muitas coisas:

1ª: Nível de açúcar no sangue depende de vários fatores

Açúcar no sangue não depende só do que comemos, também depende de como nosso sistema processa os alimentos.

2ª: A mesma dieta pode gerar respostas diferentes dependendo da pessoa

Assim como aconteceu com a mulher que comeu tomate. O resultado dela ao comer tomate era diferente do da maioria.

E o mais importante:

3ª: A importância da dieta personalizada de acordo com dados coletados

Isso explica por que uma dieta funciona para um e não funciona para outro. Não existe o bom para todos e ruim para todos.

Você depende de vários fatores para definir a melhor dieta para você. Uma dieta personalizada ajuda a alcançar os melhores resultados, através da análise de dados individuais coletados.

Espero que essa pesquisa seja apenas a primeira de muitas pesquisas a abordar esse tema, pois é preciso entender a importância da dieta personalizada. Quanto mais específica for sua dieta, melhor. Mais chances você terá de segui-la e de melhorar sua saúde efetivamente.

Por isso, não abra mão de uma visita a um médico, nutricionista ou nutrólogo. Faça exames para analisar sua condição atual e ver o que pode ser melhorado e como. Ver se você tem diabetes, pressão alta, intolerância a alguma coisa. Facilitando assim seu tratamento e a criação da sua dieta personalizada.

Paralelamente, continue buscando informações confiáveis sobre nutrição, buscando sempre fazer as melhores escolhas respeitando sempre suas individualidades. Para isso, continue acompanhando o Ingerindo Saúde.

Categorias
Alimentação

Alimentação Saudável é Cara? Acabe Com Esse Mito Hoje Mesmo!

Por que a alimentação saudável precisa ser cara? Quem disse isso? Baseado no que?

Chega de dizer que não consegue ter uma alimentação saudável porque é caro. Isso não precisa ser verdade.

Já mostrei aqui que dá para ter uma dieta saudável e barata. Agora, você vai entender as 4 maneiras de acabar com o mito de que a alimentação saudável é cara. Comer saudável não significa comer pão integral sem glúten do Sul da Ásia. É bem diferente disso.

Esse é um dos maiores mitos da alimentação saudável, assim como o de comer de 3 em 3 horas.

4 Maneiras de Acabar com o Mito de que a Alimentação Saudável é Cara

1 – Escolha os alimentos naturais na maior parte das suas refeições

Substitua ao máximo os alimentos industrializados por alimentos naturais. Quando digo “alimentos naturais” não são apenas frutas, verduras e legumes, mas também castanhas e pães caseiros por exemplo.

Assim como aponta a “mãe natureba”:

“Se alimentar bem não significa trocar pães de forma tradicionais por pães sem glúten feitos com amêndoas selvagens das polinésias moídas por freiras virgens dos Alpes Suíços.”

Mas sim trocar produtos multiprocessados e que contém uma infinidade de ingredientes que muitas vezes não sabemos da onde surgiram, pelos próprios ingredientes naturais.

E ela explica como fez isso:

Ela começou uma dieta sem glúten e sem caseína para seu filho de cinco anos que é autista. Ela diz que sentiu uma melhora incrível e em pouco tempo no contato ocular que seu filho tinha perdido.

Porém, ela não fez essa dieta baseada nos produtos industrializados na versão “sem glúten”, por exemplo.  Mesmo porque esses alimentos são mesmo mais caros do que seus substitutos tradicionais e porque na maioria das vezes eles costumam ser cheio de aditivos e açúcares, além de altamente industrializados para suprir os ingredientes ausentes.

Em vez deles, ela baseou a dieta do filho em alimentos de verdade, os alimentos naturais. Ela optou principalmente pelos alimentos orgânicos porque eles são livres de agrotóxicos que prejudicam nossa saúde. Com isso, ela melhorava a saúde dela e do seu filho.

Mais informações a respeito dos orgânicos no item #2. Você vai aprender como comprar orgânicos mais baratos.

2 – Escolha um local de compra mais barato

Uma das principais crenças a respeito do valor dos alimentos saudáveis é em relação ao preço dos orgânicos. Porém, existem algumas maneiras de comprar orgânicos mais baratos.

Estudos recentes do Instituto Kairós mostram que a maior diferença de preços entre o que chamamos de produtos convencionais e o os orgânicos se dá pela produção em sim. Por fatores como o tipo de certificação e os espaços em que este alimento é comercializado.

A pesquisa “Alimentos sem veneno são sempre mais caros?” lançada em 2016 fez uma comparação de preços de produtos de cinco cidades, considerando quatro canais de comercialização diferentes (supermercado, feira convencional, feira orgânica e Grupos de Consumo Responsável). Os dados da pesquisa mostraram que a venda direta de produtos (feiras orgânicas e grupos de consumo) tendem a ter valores menores do que a venda através de caminhos mais longos, como supermercados e feiras convencionais.

Exemplo: uma cesta com 17 alimentos orgânicos vendida no supermercado custa R$144,00, enquanto nos Grupos de Consumo Responsável custa R$69,00.  O preço dos orgânicos nos supermercados podem chegar a ser quatro vezes mais caros.

Esse estudo nos ajuda a enxergar alternativas aos alimentos orgânicos do supermercado que são mais caros. Em vez desses, podemos consumir os orgânicos de venda direta através de Grupos de Consumo Responsável e de feiras orgânicas que costumam ser mais baratos.

É sempre bom lembrar que ao comprar alimentos orgânicos você precisa ter cuidado para comprovar se ele é realmente orgânico. Se você não sabe como fazer aprenda aqui.

3 – Calcule o custo benefício [O barato que sai caro]

Outro fator que deve ser levado em consideração sobre o preço dos alimentos mais saudáveis é o cálculo do custo e do benefício através da a relação entre preço x valor.

O “preço” é a quantidade em dinheiro que devemos pagar por um produto ou serviço, já o “valor” é o quanto aquele produto ou serviço lhe trouxe benefícios.

Quanto mais alto o valor que eu enxergo em alguma coisa, melhor ele é. Por isso, além de ver o preço dos alimentos, precisamos pensar também no valor que ele pode nos trazer.

Os alimentos mais saudáveis vão te trazer benefícios a curto e longo prazo como:

  • Mais disposição e energia (consequentemente mais produtividade),
  • Menor risco de doenças,
  • Tratamento natural de doenças.

Dessa forma, podemos dizer que optar por alimentos com o preço um pouco maior as vezes pode nos trazer um valor muito maior. E com isso, evitam problemas a longo prazo como a compra de remédios para tratar alguma doença séria ou alguma restrição alimentar que te obrigue a comer certos alimentos.

Por isso, ao optar pela compra dos produtos menos saudáveis porque eles tem o preço um pouco menor, é o “barato que sai caro.” Já que esses produtos vão te trazer menos benefícios e ainda podem te gerar mais gastos futuramente.

Depois de te mostrar os fatores que mostram que uma dieta saudável não precisa ser cara, vou te mostrar que ações você deve fazer para ter uma dieta saudável sem precisar gastar muito:

  • Planeje suas refeições,
  • Faça uma lista de compras (e siga ela),
  • Estoque alimentos em oferta

Outra maneira de deixar sua dieta mais saudável e barata é substituir a bebida alcoólica por água (com ou sem gás), suco natural. Dessa forma, você já economiza bastante e melhora muito a qualidade da sua alimentação.

Essas são apenas algumas maneiras. Para ver todas as formas de seguir uma dieta simples e barata, é só acessar o artigo “15 Formas de Começar uma Dieta Simples e BARATA (a #9 é Essencial)”.

Espero que agora você tenha se convencido de que a alimentação saudável não precisa ser cara.

Prefira os alimentos mais naturais em vez de comprar os produtos multiprocessados sem glúten do sul da Malásia, por exemplo. procure os lugares mais baratos (feiras em vez de supermercado).

Nós precisamos parar de usar esse mito da alimentação saudável como uma desculpa para não melhorar a qualidade da nossa alimentação. Eu já usei por muito tempo, mas depois que aprendi que posso ter uma dieta saudável e barata, eu não uso mais. E é isso que espero que você tenha aprendido.

Faça uma lista e compre alguns alimentos saudáveis e baratos hoje mesmo.

 

Categorias
Saúde

12 Remédios Naturais Para Gastrite e Refluxo (COMPROVADO!)

Quer saber o melhor tratamento natural para gastrite e refluxo? 

É simples! Para isso, você precisa saber o que é indicado e o que não é. Existem alguns medicamentos e alguns alimentos que devem ser evitados. Descubra a seguir quais são eles. Veja os 12 melhores remédios naturais para gastrite e refluxo.

12 Melhores Remédios Naturais do Tratamento para Gastrite e Refluxo

Para descobrir quais são remédios naturais são e quais não são indicados para o tratamento de gastrite e para o de refluxo, eu fiz muitas pesquisas. Já que as duas são doenças gastrointestinais, o tratamento para elas pode ser similar.

A seguir, você pode acompanhar o resultado dessa pesquisa baseada em estudos recentes e comprovados a respeito do melhor tratamento natural para gastrite e refluxo.

Agora vamos aos 12 Melhores Remédios Naturais para Gastrite e Refluxo:

  • #1 – Couve: protege o estômago da queimação, funcionando como uma espécie de cicatrizante. Uma vantagem da couve é que você pode ingeri-la de várias formas diferentes: caldo verde, suco verde, salada ou refogada.
  • #2 – Chucrute: é um alimento fermentado que contém bactérias benéficas que auxiliam sua flora intestinal. Legumes fermentados também apresentam altos níveis de antioxidantes e fibras para auxiliar na digestão.
  • #3 – Iogurte desnatado – funciona como um probiótico, assim como o chucrute, que auxilia na digestão
  • #4 – Kefir– é outro probiótico, considerado até melhor do que o iogurte. O mais indicado é o kefir de água de coco.
  • #5 – Aloe vera (babosa): tem propriedades anti-fúngicas, antibacterianas e anti-virais. Também é um ótimo anti-inflamatório, o que pode ajudar a aliviar os sintomas do refluxo e da gastrite. Ela pode ser ingerida como suco ou em gel.
  • #6 – Biomassa de banana verde: regula o intestino e auxilia na digestão.
  • #7 – Chá de hortelã: é indicado para quem sofre de gastrite. Porém, não é indicado para quem sofre de refluxo gástrico, pois ele pode relaxar o músculo que separa o estômago do esôfago. Esse músculo tem a função de prevenir que os ácidos do estômago “voltem” pelo esôfago.
  • #8 – Morango: pode auxiliar na prevenção da inflamação do estômago gerada pela gastrite. E ainda pode auxiliar no tratamento da gastrite e de outras doenças devido suas propriedades antioxidantes e alto teor de compostos fenólicos (antocianas) que protegem as células saudáveis contra a oxidação dos radicais livres. Outras frutas não ácidas como a banana, maçã, mamão e pêra podem auxiliar na digestão e diminuir os sintomas da gastrite.
  • #9 – Limão: apesar de ser uma fruta ácida, existem profissionais que indicam o limão como remédio natural para tratamento da gastrite, pois o limão estimula a produção de carbonatos e bicarbonatos orgânicos no nosso organismo. E o ácido cítrico se oxida, atuando como uma base. Tais substâncias, aliadas aos outros componentes do limão – felandrina, limonina, óleo essencial, ácidos orgânicos, bioflavonoides, pectinas, vitamina A, vitamina B1, vitamina B2, sais minerais e vitamina C – controlam a acidez estomacal e eliminam resíduos, regenerando os tecidos inflamados. Assim, previne também outras doenças.
  • #10 – Comer devagar: comer rápido pode ser tão ruim como comer mal. Além de ajudar a engordar, pode facilitar a gastrite e o refluxo.
  • #11 – Beber água: beber a quantidade indicada de água (2 a 3 litros por dia) pode te ajudar a acabar com os sintomas do refluxo.
  • #12 – Atividade física: auxilia no alívio do estresse e melhora do humor, evitando assim a gastrite nervosa.

NÃO Indicados no Tratamento de Gastrite e Refluxo

Se você tem gastrite ou refluxo passe longe desses alimentos e bebidas:

  • Cigarro: aumenta a acidez estomacal;
  • Refrigerante: pioram os sintomas da gastrite;
  • Ficar muito tempo sem comer;
  • Café e chá preto: a relação dessas bebidas com a gastrite ainda gera algumas controvérsias, pois tem uns que defendem que a cafeína pode piorar a gastrite e outros que discordam disso;
  • Leite: apesar de aliviar inicialmente, as proteínas do leite são difíceis de ser digeridas e por isso aumentam a produção de ácido, piorando ainda mais.

Cuidado com os Remédios Indicados para Tratamento 

Grande parte dos médicos indica os antiácidos ou os inibidores da bomba de prótons (omeprazol, pantoprazol). No início eles até minimizam os sintomas, porém eles trazem outros danos ao nosso organismo.

Esses remédios são indicados para reduzir a secreção de ácido gástrico e assim, os sintomas como a azia pode até desaparecer. Entretanto, essa forma de tratamento, que atua na inibição do sintoma e não na causa do problema, pode gerar vários danos, além de sobrecarregar outras partes do organismo.

O ácido gástrico é produzido porque é essencial para o equilíbrio do organismo e a inibição desse mecanismo natural com remédios, como o omeprazol, pode acabar causando sérios problemas.

O estômago apresenta nível de acidez elevado. A principal função da acidez elevada (pH menor que 3) é matar bactérias.

As bactérias entram no estômago durante a ingestão de alimentos. Desta forma, a cada refeição, diversas bactérias invadem a cavidade estomacal e o ácido presente no suco gástrico mata a maioria delas. Se o ácido gástrico, indispensável à proteção do corpo, for inibido com medicamentos, as bactérias que são ruins, as quais liberam fortes toxinas, não serão eliminadas no estômago e alcançarão o intestino, podendo causar diarreia, gases com odor desagradável, mau hálito e diversos outros problemas.

O que podemos perceber sobre o tratamento para gastrite e refluxo é que ainda existem algumas dúvidas sobre o que é indicado ou não. Porém, o que fica claro é a melhor eficiência dos remédios naturais (alimentos e hábitos saudáveis) em vez de remédios de farmácia.

Muitos médicos ainda indicam o uso de antiácido, omeprazol, etc. Porém, vimos que a longo prazo eles podem ser prejudiciais ao nosso corpo.

Os tratamentos mais eficazes são através de remédios naturais, prática de atividade física e a melhora dos hábitos alimentares de maneira geral. Comer mais frutas (de preferência não ácidas) e verduras, beber água regularmente e evitar bebida alcoólica.

Além de apostar em alimentos probióticos como o iogurte desnatado e o kefir.

Com essas informações acredito que você já pode fazer seu tratamento para gastrite e/ou refluxo.

Comece a usar esses remédios naturais e deixe um comentário mostrando como foi o resultado para você.